Teoria | Versão amaldiçoada de Pokémon para Game Boy

AVISO: Este vídeo contém imagens extremamente fortes e sons extremamente perturbadores. Não o recomendamos para menores de idade, pessoas com problemas cardíacos ou psicológicos. O vídeo traz cenas supostamente reais de uma versão amaldiçoada do Pokémon para Game Boy. Ao clicar para assistir o vídeo, você declara estar ciente que é o único responsável por quaisquer danos que o vídeo pode causar, eximindo o InVader e sua equipe de qualquer responsabilidade sobre isso.

De acordo com um relato publicado por um brasileiro no YouTube, com o nome do usuário de Interfectorify, esta versão é apenas uma modificação do jogo Pokémon Red, mas com elementos sobrenaturais na história. Para começar, saiba que o cartucho é vendido na cor preta de forma ilegal em lojas especializadas.
 
A história começa do mesmo ponto que os jogos tradicionais, na qual você é um treinador de pokémons e deve escolher seu primeiro monstrinho para começar sua jornada. Porém, além dos três pokémons iniciais, o jogador também pode escolher um quarto: Ghost (Fantasma). O único golpe do Ghost é Curse (Amaldiçoar), um ataque que não existia em Pokémon Red e foi inserido por meio de hack.
 
Durante as lutas, tudo o que Ghost podia fazer era amaldiçoar seus adversários e pokémons. Ao sair das lutas, os adversários não estavam mais lá e em seu lugar ficava uma tumba de uma pessoa morta. Com o tempo, o save game do jogo ficava corrompido e o seu próprio personagem sumia. Após a tela ficar preta inúmeras vezes, o jogador se depara com imagens de todas as pessoas que amaldiçoou com Ghost. E a história não para por aí…
 
O personagem do jogador surge na tela, mais velho e tendo que enfrentar o próprio Ghost. O personagem não tem como revidar e só consegue se debater, quando Ghost lança sua maldição. A tela fica novamente preta. No final, o game deleta o seu progresso salvo e dá a lição de que a maldição se volta contra você.

Richard Ribeiro

Co-fundador no InVader e Host do Failcast, me siga nas redes-sociais, são todas @ribrichards!