Nossas expectativas para Star Wars: Episódio VIII

27 de maio de 2017. Esta é a data de estreia de Star Wars: Episódio VIII, o que significa dizer que em menos de um ano e meio todos os fãs da saga espacial criada por George Lucas terão outro longa para ansiar e desfrutar em sua totalidade. Neste meio tempo, no dia 16 de dezembro de 2016, estreia Rogue One: A Star Wars Story, que irá contar a história de como a Aliança Rebelde consegue roubar os planos da Estrela da Morte, ou seja, irá se passar antes de Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977). Com o sucesso de público e crítica de Star Wars: O Despertar da Força, é difícil imaginar que a Disney irá atrasar o lançamento do Episódio VIII, já que a máquina precisa ficar rodando e os fãs precisam continuar sendo saciados. 

Neste momento, a pré-produção do longa já está acontecendo. As filmagens principais começam no início de 2016 nos Estúdios Pinewood, nos arredores de Londres, no mesmo local que o longa anterior e outros filmes como 007 Contra Spectre (2015) foram rodados. Todo o elenco principal está com o seu retorno confirmado, com excessão de Harrison Ford por motivos óbvios. Já há algumas novas confirmações de atores contratados e a mudança na direção, saindo J. J. Abrams e entrando o diretor Rian Johnson. J. J. Abrams fez o que era esperado dele: colocou a franquia novamente no lugar de destaque que merece na cultura pop, dirigiu um filme quase perfeito e trouxe o ritmo e o espírito da Trilogia Clássica. Não há do que reclamar do diretor americano. Resta aos sucessores apenas seguir a fórmula de J. J. e não deixa o bonde descarrilar, fechando a trilogia, em 2019, com talvez três filmes que se equiparem em qualidade e relevância aos três longas originais. É uma tarefa difícil, mas a pior parte já foi feita por J. J.: pavimentar um caminho reconhecível para o espectador saudosista enquanto inclui novos elementos que deixam a trama dinâmica e importante com novos personagens absolutamente sensacionais, com destaque para Rey. Como muitos pontos da história não foram devidamente explicados e finalizados, já que ainda há dois filmes da trilogia a serem produzidos, só resta aos fãs especularem sobre o futuro da saga.

O ponto central da história deve ser, novamente, Luke Skywalker e o motivo de seu exílio. Devemos saber porque o jedi está atrás da primeiro templo da sua ordem, a importância dele e o que ele representa para o futuro da galáxia. Ao mesmo tempo, será interessante observarmos a relação dele com Rey e o possível treinamento dela como uma jedi. A Força despertou nela. Talvez pela primeira vez em milênios a Força tenha despertado em alguém que realmente vá trazer a galáxia para a luz, já que nem Anakin e nem Luke conseguiram tal feito. A relação de Luke e Rey vai revelar muito sobre o passado da personagem. Uma das teorias já boladas pelos fãs diz que Rey fez parte da Academia Jedi de Luke e, após o lado negro dominar Kylo Ren, a garota foi exilada em Jakku para a sua própria proteção, por ser a padawan com maior potencial em dominar a Força. Outra teoria diz que Rey é filha de Luke, o que colocaria os motivos do exílio da jovem um mistério, porque qualquer pai deveria ficar com o filho para a sua proteção. Esta teoria levantaria a pergunta de quem seria a mãe de Rey, o que forçaria o roteiro a mostrar com mais detalhes ainda o que aconteceu nos trinta anos desde Star Wars: Episódio VI – O Retorno de Jedi (1983). Seja qual for a filiação de Rey, a verdade é que uma hora ou outra a garota deverá ganhar um sobrenome, e seus pais serão pessoas importantes para a trama do longa.

Poe Dameron deverá ganhar mais destaque na história. O personagem é carismático e o ator tem presença de tela, além do fato de Poe ter liderado a ofensiva que destruiu a base Starkiller. Poe deverá ganhar uma posição mais privilegiada na Resistência e ainda mais respeito pelos seus semelhantes. A Resistência possivelmente passará por dificuldades. A Nova República, pelo que foi mostrado, apoiava a organização, tanto economicamente quanto militarmente. A partir do momento que o Senado Galáctico é destruído juntamente com a sede da Nova República no sistema Hosnian Prime pela base Starkiller, a Resistência perde seu principal apoio. Finn também ganhará destaque na Resistência, possivelmente acompanhando Rey em suas missões e treinamento. Fica a dúvida se haverá um romance entre os dois. Embora seja socialmente importante termos na principal franquia do cinema um casal principal formado por um negro e uma protagonista feminina, seria muito mais impactante se eles fossem apenas muito amigos que se ajudam e se amam fraternalmente. Há boatos que Billy Dee Williams voltará como Lando Calrissian em algum momento desta nova trilogia, talvez seja a hora de contar com o personagem em um momento em que a Resistência precisa de todos os aliados disponíveis para combater a Primeira Ordem.
 
A morte de Han Solo abre muitas possibilidades narrativas. Chewbacca precisará se reinventar, já que sempre foi o braço direito do contrabandista. A evolução do wookie e sua adaptação à nova realidade será interessante de ser observada. Kylo Ren, após ter matado seu pai, deve mergulhar de cabeça no lado negro. O assassinato praticamente enterrou quaisquer possibilidades que o personagem tinha de voltar para a luz. Seu treinamento com o Supremo Líder Snoke deverá formar um Cavaleiro de Ren ainda mais corrompido e sem dúvidas sobre qual lado da Força seguir, mostrando um personagem mais habilidoso com o sabre de luz e com uma posição estabelecida na Primeira Ordem. Leia também irá sofrer pela falta de Han. O contrabandista era quem fazia a agora general sair da sua zona de conforto e demonstrar seus sentimentos. Enquanto a General Leia está tentando organizar ainda mais a Resistência para combater a Primeira Ordem, a falta de Han será um peso constante para a personagem, assim como o futuro de seu filho. Os Cavaleiros de Ren devem ser melhor explorados, já que foram apenas citados em um diálogo e mostrados no flashback de Rey, não sendo possível entender a importância da organização e nem o seu objetivo. O Supremo Líder Snoke deverá ter a sua história revelada, se não em sua totalidade ao menos em parte. Ele é um sith? Ele controla a Força? Seu aspecto ancião dá a impressão que o personagem é muito velho. Será que ele sempre esteve por trás dos planos do lado negro desde épocas anteriores a Palpatine? A Capitã Phasma deve retornar. A presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy disse recentemente que a personagem é importante para a história da trilogia. Então só nos resta esperar que a personagem e seu potencial seja melhor utilizado. O General Hux precisará ter mais relevância para a história. Um personagem que apenas grita ordens e confronta Kylo Ren quando suas opiniões divergem pode ser enfadonho de ser acompanhado por muito mais tempo. 

Rey será o centro da narrativa definitivamente. Agora que já está estabelecido que a personagem é forte na Força e que o futuro da galáxia depende dela, não é necessário mais tentar enganar o público dando a entender que Finn é o próximo jedi. A personagem ganhará ainda mais destaque na história e no marketing do próximo longa. Ao que tudo indica, colocar como protagonista uma jedi mulher foi o maior acerto de Star Wars: O Despertar da Força. Finalmente o gênero se vê representado dignamente no cinema. Pode-se dizer que Rey junto com Katniss são os dois maiores expoentes do girlpower da cultura pop atual. E a Disney, logicamente, vai tentar utilizar todo o sucesso de Rey e sua interprete, Daisy Ridley, para catapultar ainda mais o Episódio VII. O passado da personagem será explorado e seu futuro começará a ser desenhado. A personagem irá treinar com Luke ou assumir o comando da Millennium Falcon juntamente com Chewbacca? Ou irá conciliar as duas funções? Seria incrível se tivéssemos uma jedi como capitã do ferro-velho mais rápido da galáxia. Rey terá a sua importância aumentada ainda mais de acordo com as revelações que Luke tiver sobre ele mesmo e sobre ela. 

Benicio Del Toro é a principal adição ao elenco de Episódio VIII. E já está confirmado que ele interpretará um vilão. Fica difícil imaginar um vilão que também utilize a Força, este posto já pertence a Kylo Ren e, talvez, o Supremo Líder Snoke. Talvez Del Toro assuma um papel no comando militar da Primeira Ordem, alguém mais competente e cruel que o General Hux. Ou talvez o personagem tenha algo a ver com o exílio de Luke. A adição do ator enriquece ainda mais um elenco já coeso e afinado. Outras atrizes estão disputando um papel feminino importante, mas ainda não revelado. Todas as decisões referentes ao novo longa devem ser tomados nos próximos dois meses. Com as filmagens principais chegando cada vez mais perto, a escolha do elenco se torna prioridade. 
Compartilhe este post:

Derek Moraes

Cinéfilo de carteirinha. Nerd de plantão para preencher as mentes ávidas por informações e conhecimento. Especialista em transformar simples conversas em viagens a Hogwarts, Terra Média, Westeros e uma galáxia muito, muito distante.