8 Filmes Perturbadores

O cinema mundial já produziu praticamente todo o tipo de coisa possível, de histórias de guerra épicas a romances apaixonantes, de comédias hilárias a dramas tocantes, de filmes para toda família a filmes para um público bem restrito. Logo, se há  tanta coisa gravada nas películas de nossa história, era meio que óbvio que surgiriam aquelas obras difíceis do público comum engolir, sejam por suas tramas conterem cenas fortes de violência, escatologia, sexo explícito e todo tipo de bizarrice que pode sair da mente humana, principalmente se é para se fazer arte.

E é justamente que nesses tipos de filmes que nós do Invader iremos nos focar nessa “Lista 8”. Então tire as crianças da sala, porque vamos falar sobre “Filmes Perturbadores”.

 

O Iluminado

Abrindo a lista, temos um “cRássico” dos filmes de terror, dirigido pelo gênio da sétima arte Stanley Kubrick, que adapta de forma controversa uma das maiores obras de Stephen King, o rei dos livros de terror. Este filme certamente já foi responsável por muitas unhas roídas nos últimos 30 anos. A história começa leve, quando um homem é contratado para ser vigia de um hotel durante o inverno, quando fica vazio. Ele leva sua família para lá e, no isolamento e no ambiente sombrio, começa a manifestar problemas psiquiátricos e comportamento agressivo. Nos corredores desertos do prédio, o filho tem visões de fatos ocorridos ali. A aparição de duas gêmeas num dos corredores, por exemplo, é uma das cenas mais aterrorizantes. O tempo inteiro espera-se uma tragédia e a música ajuda, e muito.

 

 

 

Irreversível

Contada de trás para frente, a história do filme é bem simples. Dois amigos buscam um cara que estuprou a namorada de um deles. Mas eis que se chega ao mote da ação, o estupro em si. São cerca de nove minutos de violência e asco, o suficiente para muita gente deixar a sala do cinema quando o filme estava em cartaz. No início do longa há uma cena de briga que acaba com uma cabeça esfacelada por um extintor de incêndio usado como porrete.

 

 

 

 

Pink Flamingos

Representante da escatologia nesta lista, o filme é um ícone no mundo underground. O roteiro narra uma espécie de competição pelo título de pessoa mais repugnantes do mundo, posto que Divine, uma drag queen, e sua família têm a honra manter. A disputa é quase só uma desculpa para cenas bizarras, como de sexo com galinha (o bicho mesmo), entre mãe e filho, gente comendo fezes, close em ânus e por aí vai. Repugnância do começo ao fim.

 

 

 

 

Holocausto Canibal

Com cenas de torturas, mutilações, empalamento (um cabo entra pela vagina e sai pela boca), castração e morte de animais, ele chegou a ser proibido em alguns países. No estilo filme dentro do filme, conta o desaparecimento de quatro documentaristas que sumiram após irem para a Amazônia. Um professor vai investigar o caso e encontra uma gravação que mostra como foram mortos. A partir daí, o que vemos são cenas de câmera tremida “filmadas” pelos documentaristas, no estilo Bruxa de Blair, na tribo canibal onde foram parar. Muita gente ainda acreditou que os atores tinham sido realmente mortos no filme. Não foram, mas alguns animais sim.

 

 

 

Saló ou 120 dias de Sodoma

O mal-estar causado por Saló na década de 70 fez o filme ser banido de diversos países. Baseado em histórias do Marquês de Sade, o filme narra 120 dias de torturas sexuais de um grupo de jovens sequestrado por fascistas. São duas horas de masoquismo, sodomia, mutilações, genitais queimados e outras insanidades.

 

 

 

 

 

Réquiem para um Sonho 

Do mesmo diretor de “Cisne Negro”, o filme mostra a destruição progressiva de viciados, nem todos em drogas propriamente. Uma das personagens, por exemplo, é viciada em TV (e pílulas com anfetamina para emagrecer). No início, todos têm sonhos que desmoronam à medida que os vícios e a degradação tomam conta. A angústia só aumenta com a edição e a trilha sonora, que ditam o clima quando a ideia é mostrar os efeitos psicológicos e físicos das drogas. É do tipo de filme que a gente torce para acabar logo, nem que a solução seja matar os personagens.

 

 

 

Monstros

Não, não é o desenho. Este aqui causou tanta polêmica quando foi lançado que praticamente acabou com a carreira de seu diretor. Atores anões, com deformações físicas e gêmeos siameses representam personagens de um circo grotesco que chama a atenção nas cidades onde passa por vender “aberrações”. A trapezista, uma das poucas sem deficiência física, aproveita-se de um anão apaixonado por ela interessada na riqueza dele. Após se casarem, ela tenta a todo custo matá-lo para ficar com a herança. Mas o plano é descoberto pelos demais “monstros”, que se unem contra ela.

 

 

 

 

Anticristo

Para fechar a lista, trazemos Lars Von Trier , o cineasta e roteirista dinamarquês cujos elogios em festivais de cinema só são comparáveis às polêmicas de suas obras, sendo conhecido por chocar em seus filmes nem um pouco alegres. Um dos mais conhecidos é o recente “Ninfomaníaca” que gerou altos debates por causa das inúmeras e variáveis cenas de sexo explícito. Tal filme é o último da “Trilogia da Depressão”, sendo o primeiro o filme “Anticristo”. Neste em especial, o assunto já polêmico é trabalhado com cenas bem pesadas e psicodélicas, como cenas explícitas de sexo, animais em decomposição, o cara conversando com uma raposa morta e outras bizarrices. O filme conta a história de um casal, que devastado com morte do único filho muda-se para uma casa no meio da floresta para superar o episódio. Mas os questionamentos do marido, psicanalista, sobre a dor do luto e o desespero de sua esposa desencadeiam uma espiral de acontecimentos misteriosos e assustadores. O filme vale à pena pela construção da trama. Mas prepare a emoção e não espere um final feliz.

 

 

Queremos retificar aqui que não temos responsabilidade alguma se você tiver sequelas após ver estes filmes, mas se tiver afim vá em frente, invasor, depois conte nos comentários como foi sua experiência. E se achar que faltou algum aqui na lista, ou tiver ideias para mais “Listas 8” também deixe seu comentário.

Ah, e não esqueça de nos seguir nas redes sociais. Até a próxima…

Compartilhe este post:

Ailton Borges

"Eu caminhei pela superfície do sol, testemunhei eventos tão mínimos e rápidos que mal podem-se dizer que ocorreram." -Dr. Manhattan

  • Alexandre Sacramento

    Meio fraco, podia ter alguns filmes bem mais “perturbadores” que não estão na lista.

    • Ailton Borges

      É que não gastamos a munição pesada já de primeira. Essa lista foi só para preparar terreno.